ABEAR apresenta a senadores os impactos da pandemia do novo coronavírus no setor aéreo

A Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR) promoveu hoje (9) um debate com senadores, por meio de videoconferência, para apresentar o impacto do novo coronavírus na aviação comercial. Diante da pior crise do setor, o presidente da ABEAR, Eduardo Sanovicz, destacou que as companhias têm mantido o país conectado para garantir, principalmente, o transporte gratuito de médicos e profissionais que atuam no enfrentamento da pandemia. Além disso, o foco do setor tem sido o fornecimento de remédios para regiões fora do eixo São Paulo-Rio de Janeiro-Brasília, especialmente nas regiões Norte (Amazônia) e Nordeste.

“A demanda doméstica teve redução de pouco mais de 90% e a internacional caiu a zero. Quem hoje está viajando são pessoas voltando para suas casas e equipes que estamos gratuitamente transportando, ligados a saúde, que são profissionais como médicos e enfermeiros, que atuam no combate à pandemia. Não há mais tráfego por conta de negócios e lazer”, afirmou Sanovicz. Ele lembrou que o setor tem mantido diálogo constante com o governo para encontrar medidas de apoio durante o atual cenário.

Houve consenso entre os participantes da videoconferência da importância de se estabelecer uma agenda legislativa para que o setor, em conjunto com o Congresso, possa retomar o seu crescimento e contribuir com o desenvolvimento econômico e social do país, após o fim da crise. “O mais importante é que a aviação brasileira seja alinhada com a mundial. Os regulamentos e regras têm que ser iguais aos dos nossos competidores nos Estados Unidos, na Europa e na Ásia. É absolutamente possível construir no Brasil uma aviação que tenha as mesmas regras que as melhores práticas internacionais”, afirmou o presidente da ABEAR.

O senador Randolfe Rodrigues (Rede/AP) disse que o setor aéreo precisa de alternativas para sobreviver durante a pandemia do novo coronavírus e, especialmente, necessita de medidas para quando essa situação terminar. “É preciso pensar a aviação no pós-crise e como podemos fazer o setor avançar. Temos que trabalhar em iniciativas como zerar o ICMS sobre o combustível dos aviões (QAV)”, afirmou o senador.

Presente ao debate, a senadora Soraya Thronicke (PSL/MS) concordou que o setor aéreo precisa de um debate pós-crise para poder encontrar medidas que contribuam com a retomada do crescimento. “Estamos muito focados em fazer o que tiver de ser feito para que consigamos construir essa superação do país. Conto com meus colegas senadores para que, depois da crise, o meu sonho de ver o Brasil com muito mais voos possa ser realizado”, disse.

O senador Marcos do Val (Podemos/ES), por sua vez, reforçou a importância do diálogo com o setor aéreo para que o Senado possa colaborar com a busca de alternativas e soluções. “A aviação está passando por muita dificuldade, incluindo o turismo. É importante a gente se abastecer de bastante informação para elaborarmos propostas e ideias para que não haja um colapso no setor. De início, temos que colocar a aviação brasileira no mesmo patamar das regras internacionais”, disse o senador.

“Estamos fazendo várias reuniões com todos os setores da área de transportes, como o rodoviário e o aéreo. Sem dúvida setor aéreo é o que mais passa dificuldades no mundo e no Brasil. Essas reuniões são extremamente importantes para que o setor esclareça a melhor forma de o Senado colaborar”, afirmou o senador Wellington Fagundes (PL/MT).

Também participaram da videoconferência Marinez Chiele, assessora de Infraestrutura do Senado, o deputado Federal Edinho Bez (MDB-SC), a diretora de Relações Institucionais da ABEAR, Marina Mattar, e o diretor de relações externas da Associação Internacional do Transporte Aéreo no Brasil (da sigla em inglês IATA), Marcelo Pedroso.

FONTE: ABEAR

Principais da Semana

Aeroporto Internacional de Belo Horizonte já tem operações para 37 destinos para atender a demanda de alta temporada

Todos esses mercados já estão sendo atendidos desde dezembro de 2020, com exceção de Aracaju, operação da Azul que começa agora com a realização...

LATAM prevê alcançar 63% de sua capacidade doméstica no Brasil em janeiro

Somando os mercados de Brasil, Chile, Colômbia e Peru, o Grupo LATAM acrescenta 11 rotas nacionais neste mês. A operação de passageiros do Grupo...

EXCLUSIVO! LÍDERES DE 10 EMPRESAS AÉREAS FALAM SOBRE OS DESAFIOS E O FUTURO DO SETOR

A pandemia teve um enorme impacto para o turismo no Brasil e no mundo. Mas as companhias aéreas demonstraram uma impressionante capacidade de adaptação...

Aéreas brasileiras transportaram gratuitamente 4,9 mil itens para transplante em 2020

Voos operados pela Força Aérea Brasileira (FAB), companhias aéreas estrangeiras, trajetos terrestres e serviço postal transportaram 2.279 itens As companhias aéreas brasileiras transportaram gratuitamente, em...

Declaração: Novos requisitos de teste para viagens aéreas ao Canadá

As graves consequências econômicas do prolongado fechamento da fronteira já são evidentes A International Air Transport Association (IATA) expressou frustração com o novo requisito de...