Delta adianta seu contrato com a LATAM após assumir compromissos por 10 Airbus A350

Mantendo os compromissos adquiridos, a Delta assume os pedidos de 10 Airbus A350s que a LATAM manteve até a semana passada em ordem direta à Airbus. A ação faz parte dos acordos adotados em setembro de 201, quando a empresa sediada em Atlanta anuncia a compra de US $ 1,9 bilhão em 20,0% da propriedade da maior companhia aérea da América Latina.

Para realizar essa operação, a LATAM informa à Airbus a modificação do pedido com o cancelamento de 10 A350s a serem entregues entre 2020 e 2025 para que possam ser realizados pela Delta. Até aquele momento, a companhia aérea chilena mantinha os 27 equipamentos dessa família de aeronaves atualmente encomendados pela TAM Airlines antes da fusão com a LAN. Esses dispositivos foram chamados para complementar a empresa brasileira no papel que o B787 desempenha na empresa chilena.

Inicialmente, apenas os A350-900 foram considerados. No entanto, para ajustar a capacidade à realidade interna da empresa, a eliminação de sobreposições em várias rotas durante a fase imediata da fusão e as projeções de demanda para os mercados em que atua, a LATAM modifica o pedido duas vezes. . O primeiro é realizado em 2015, quando inclui seis unidades A350-1000 e outro, em 2016, quando aumenta o número deste último modelo para 12, resultando na ordem de 15 A350-900 e 12 A350-1000.

Com uma capacidade de passageiros um pouco maior que o B787-9, o papel do A350-900 é atender as rotas com a maior demanda do Brasil para que outros tipos de aeronaves (A330-200, A340-500) estejam sendo atendidos e que não possam ser assumidos. pelo B767-300ER atualmente em serviço. Os A350-1000s foram originalmente projetados para substituir o 10 B777-300ER.

Após a revisão do plano de frota que inclui a extensão do uso do B767-300ER e do B777-300ER nos próximos anos, a LATAM reduz a necessidade de incluir novas aeronaves no período mais imediato. Isso é reafirmado com o papel complementar que a Delta fornecerá assim que o contrato de negócios conjunto (JBA) for materializado, facilitando um uso mais eficiente da frota. Isso pode ser complementado ainda mais com outras alianças que a LATAM pode incorrer com outras companhias aéreas.

A LATAM possui 13 A350-900, dos quais cinco estão sublocando a Qatar Airways, número que espera reduzir durante este ano, de acordo com as demonstrações financeiras consolidadas do quarto trimestre e a consolidação anual de 2019. Ainda há a transferência para a Delta de quatro aeronaves deste modelo atualmente em operação.

Fonte: Aerolatin News

Principais da Semana

Aeroporto de Congonhas aposta em tecnologia para facilitar o embarque de passageiros

A inovação foi proporcionada com instalação dos equipamentos dFlow BCBP da Digicon O Aeroporto de Congonhas é o segundo maior do Brasil em movimento de...

Meio ambiente: está aberta a 2ª edição do projeto Aeroportos Sustentáveis

Operadores aeroportuários podem se inscrever até 19 de fevereiro de 2021 Buscando incentivar a adoção de boas práticas de gestão ambiental nos aeroportos do Brasil,...

Aéreas brasileiras transportaram gratuitamente 4,9 mil itens para transplante em 2020

Voos operados pela Força Aérea Brasileira (FAB), companhias aéreas estrangeiras, trajetos terrestres e serviço postal transportaram 2.279 itens As companhias aéreas brasileiras transportaram gratuitamente, em...

LATAM transporta 500 cilindros de oxigênio para Manaus para combate da Covid-19

Até o momento, a companhia realizou três voos, em conjunto com o Governo do Amazonas a pedido do Ministério da Saúde, que totalizaram 37,5...

Declaração: Novos requisitos de teste para viagens aéreas ao Canadá

As graves consequências econômicas do prolongado fechamento da fronteira já são evidentes A International Air Transport Association (IATA) expressou frustração com o novo requisito de...