Movimento no Galeão em maio deve ser 17% maior que em abril

Ao todo estão previstos 213 voos, contra 182 no mês passado. Desse total, 205 voos serão domésticos e oito internacionais

Mesmo em meio à pandemia de covid-19, que restringiu viagens em todo o mundo, o Aeroporto Internacional Tom Jobim – RIOgaleão prevê aumento de 17% na movimentação em maio, na comparação com abril, graças à expansão da malha aérea essencial acordada com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Ao todo estão previstos 213 voos, contra 182 no mês passado. Desse total, 205 voos serão domésticos e oito internacionais.

A malha aérea essencial foi negociada entre empresas aéreas e o governo para garantir que nenhum estado brasileiro fique sem ligação aérea, durante as restrições de movimentação impostas pelo novo coronavírus. Essa malha seguirá vigente no mês de maio.

Em abril, o aeroporto do Rio de Janeiro experimentou queda de 96% no total de voos domésticos e internacionais, na comparação com o mesmo período do ano passado.

Pousos e decolagens

A concessionária RIOgaleão, que administra o aeroporto, explicou hoje (5) que serão efetuados, em média, sete pousos e decolagens por dia, com movimentação em torno de 820 passageiros. Em maio, deverão passar pelo aeroporto cerca de 25,3 mil passageiros.

O mês começa com malha similar à operada em abril, com 20 voos semanais da GOL Linhas Aéreas para o Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, e um voo semanal da Air France para Paris.

A partir do dia 22 de maio, será acrescido um voo internacional da TAP para Lisboa e, a partir do dia 24, se somarão cinco voos semanais da GOL para Fortaleza, e três voos semanais, também da Gol, para cada uma dessas capitais: Florianópolis, Natal, Recife e Salvador.

O pico na movimentação é esperado para o dia 27 de maio, totalizando 1.628 passageiros.

Limpeza e desinfecção

Desde o início do isolamento social decretado pelas autoridades para combate à pandemia do novo coronavírus, o RIOgaleão adotou medidas de enfrentamento à covid-19, que incluem ações de treinamento e prevenção com a comunidade aeroportuária, empresas de ‘ground handling’ (todos os serviços prestados em terra para apoio às aeronaves, passageiros, bagagem, carga e correio) e prestadores de serviços.

A concessionária mantém foco na limpeza e desinfecção dos espaços, de modo a garantir que o aeroporto seja um local seguro e limpo para a circulação de passageiros e comunidade aeroportuária. São intensificados ainda procedimentos e capacitação de profissionais, com a mesma finalidade. (Alana Gandra). Edição: Denise Griesinger

Fonte: Agência Brasil

Principais da Semana

Resultado dos leilões de aeroportos é “vitória da ousadia”, diz Tarcísio de Freitas

Para ministro da Infraestrutura, disputa mostrou confiança e prestígio do país com investidores Com garantia de R$ 6,1 bilhões em investimentos em 30 anos e...

GOL aprimora a experiência do Cliente no WhatsApp

Solução desenvolvida pela parceira Inbenta integra os canais de atendimento e possibilita que todo o processo de check-in seja feito no aplicativo, entre outras...

Flapper, principal empresa de aviação executiva do país, levanta US﹩ 2 milhões para impulsionar expansão na América Latina

O roadmap inclui o lançamento de 4 novos escritórios e o desenvolvimento de novas soluções tecnológicas para o setor de mobilidade aérea A Flapper , principal empresa...

Conheça Rogerio Andrade, CEO da Avantto, que viabilizou o modelo de compartilhamento de aeronaves no Brasil

A Avantto é empresa líder no segmento de compartilhamento de aeronaves executivas. Com mais de onze anos no mercado brasileiro, a companhia já se...

Embraer apresenta protótipo de carro voador elétrico

Veículo de decolagem e pouso vertical da Embraer será destinado a passageiros. O protótipo de carro voador elétrico (eVTOL) é em tamanho reduzido A Embraer...