Aéreas brasileiras começam a ampliar número de voos a partir de junho

Apesar do aumento previsto, malha diária das companhias ainda será pelo menos 80% menor do que no período anterior à pandemia 

Após a brusca queda no número de voos no início das medidas de isolamento socialadotadas para conter o avanço do novo coronavírus, companhias aéreas brasileiras começam a planejar o aumento de sua malha diária a partir de junho, mas num nível bem abaixo do visto antes da pandemia. 

Azul projeta realizar 168 partidas ao dia no próximo mês, ante 115 diárias vistas em maio. Com isso, o número de destinos atendidos no mercado doméstico passará de 38 para 57. A média diária de decolagens ainda estará 80% menor do que no mesmo mês de 2019.  

Em nota, Abhi Shah, vice-presidente de receitas da companhia, afirma que a empresa vê uma retomada gradual da demanda desde o início da pandemia, e que monitora o mercado, expandindo o número de viagens realizadas à medida em que forem diminuídas as restrições a viagens no País. Ele destaca que o Estado de São Paulo, em especial, deve ter flexibilizações a partir da primeira semana de junho.

Na terça-feira, 19, a Gol anunciou que também expandirá sua malha no mês. Serão 100 voos diários ante os 68 de maio, número ainda 87% menor do que o visto antes da pandemia. A empresa informou que não tem planos de reaver seus voos internacionais em junho. 

“Trata-se de um aumento sutil do número de voos e horários, mas de grande efeito para a comodidade de quem precisa se deslocar pelo País ou utilizar os serviços de transporte da empresa”, afirmou a aérea em nota. 

A empresa destaca que, aos poucos, bases em diferentes regiões do País estão sendo reabertas. Em junho, a partir do dia 10, será a vez de Chapecó (SC), Ilhéus (BA) e Porto Seguro (BA), Juazeiro do Norte (CE), e Petrolina (PE), sempre em ligação com o aeroporto internacional de São Paulo, em Guarulhos.  

O aeroporto de Congonhas, segundo a GOL, passa a complementar as ofertas do aeroporto de Guarulhos, que deixa de concentrar todas as atividades da companhia.  

O aeroporto internacional de Brasília, que desde maio atende primordialmente ao Norte do País, ganha reforço com novos voos para essa região, assim como para o Sul, o Sudeste e o Nordeste. 

Fonte: Estadão

Principais da Semana

Vacinas contra a covid-19 começam a ser distribuídas

Aeronaves partem de Guarulhos com 44 toneladas de imunizantes O Ministério da Saúde inicia, na manhã desta segunda-feira (18), a distribuição das vacina contra a covid-19 para...

ANAC divulga lista de empresas aéreas e de táxi-aéreo autorizadas a transportar oxigênio

Ação traz agilidade e amplia a contratação de aeronaves para o transporte de insumos médicos com segurança Para ampliar o transporte de insumos médicos no...

Descontos podem chegar a R$ 15 bilhões nas outorgas de aeroportos privatizados e devem ser estendidos a toda cadeia da indústria da aviação

 Crise gerou efeito dominó e prejudicou a todos. Segmento de ground handling defende que benefícios, se concedidos, também sejam estendidos a todos  As concessionárias dos...

Covid-19 em Manaus: ANAC flexibiliza jornada de trabalho para tripulantes

O transporte de oxigênio por aeronaves também está sendo viabilizado pela Agência Diante da situação dramática vivida pelos pacientes da Covid-19 em Manaus, a Agência...

Com sucesso na malha de verão, Azul manterá rota Congonhas-Salvador em definitivo a partir de fevereiro

Com sucesso na malha de verão, Azul manterá rota Congonhas-Salvador em definitivo a partir de fevereiro A rota Congonhas - Salvador, que entrou na malha...