Parceria da ENGIE e Inframerica prevê o fornecimento de energia renovável para aviões no aeroporto de Brasília

Solução prevê suprir aeronaves em solo por meio das pontes de embarque, reduzindo as emissões de CO2 na atmosfera em 20 mil toneladas

A ENGIE, líder global em energia e soluções, e a Inframerica, concessionária do Aeroporto de Brasília, firmaram- em dezembro de 2019, parceria para fornecimento de energia de fontes renováveis a aviões estacionados no terminal brasiliense. Com a parceria, 20 mil toneladas de C02 não serão emitidos na atmosfera.

O contrato

A partir do contrato de serviço firmado entre as duas corporações, a ENGIE passa a levar a energia fornecida ao Aeroporto diretamente para os aviões, possibilitando o abastecimento dos mesmos sem a necessidade da utilização de outras fontes energéticas, que não a elétrica. Através do sistema implantado, será possível que as aeronaves desliguem seus geradores internos à querosene, ajudando na descarbonização do aeroporto. Serão menos 20 mil toneladas de CO2 sendo emitidos e uma redução considerável na queima de combustível, além de uma importante redução de ruído e no tempo de abastecimento das aeronaves.

A solução implementada provê a energia elétrica necessária, de 400Hz, e ar pré-condicionado, o PCA, usando a própria energia gerada pelo aeroporto, eliminando, assim, a emissão de carbono.

Segundo Roberto Luiz, diretor de Negócios Aéreos da Inframerica, a ENGIE foi contatada durante um processo de busca e seleção de empresas para implantar os sistemas de fornecimento de energia no Aeroporto de Brasília. 

“Vimos ali uma oportunidade de aproveitar a energia fornecida ao aeroporto, para alimentar a energia das aeronaves em solo. A ENGIE vai levar essa energia elétrica aos aviões, ajudando na descarbonização dos aeroportos. Somos uma empresa comprometida com a sustentabilidade e queremos colaborar nessa união de forças de todo o mundo para zerar a emissão de carbono até 2030.”

Soluções sustentáveis

As soluções da ENGIE são direcionadas a ajudar gestores a construírem cidades inteligentes e sustentáveis e, sendo assim, conforme declara Roberto Luiz, “não haveria empresa mais qualificada para auxiliar nessa transição energética”.

Ainda de acordo com o diretor e Negócios da Inframerica, a ENGIE foi essencial, desde o início, no desenvolvimento da melhor solução zero-carbono para o Aeroporto. Além de realizar um diagnóstico detalhado e oferecer serviço de consultoria, ajudou na construção de uma solução inovadora e sustentável, tornando possível a implementação do projeto.

“Eles entregam e instalam os equipamentos, fazem a manutenção, atendem KPI’s e oferecem uma solução ‘turnkey’. Nosso objetivo, agora, é replicar este projeto para outros aeroportos, tanto no Brasil, quanto no exterior. Confiamos na capacidade técnica da ENGIE e, sem dúvidas, é uma parceria a longo prazo”, conclui Roberto Luiz.

Certamente, este é o tipo de negócio onde todos ganham: tanto as empresas envolvidas, quanto os usuários e a população, num todo.

Fonte: Engie

Principais da Semana