GOL fecha acordo para não demitir nenhum tripulante nos próximos 18 meses

A proposta foi aprovada com mais de 81% dos votos e vale pelos próximos 18 meses, contando a partir do dia 1º de julho

Na noite de ontem, a GOL Linhas Aéreas fechou um acordo coletivo com o Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), abrangendo mais de 1.800 pilotos e 3.200 comissários de bordo, com objetivo de desligar o mínimo possível de pessoas no longo prazo e nenhuma demissão nos próximos 18 meses.

A proposta foi aprovada com mais de 81% dos votos e vale pelos próximos 18 meses, contando a partir do dia 1º de julho. Ao longo do próximo um ano e meio, a empresa aérea oferecerá programas de demissão voluntária (PDV), aposentadoria, licença não remunerada e trabalhará as escalas dos tripulantes visando a uma redução de salários em torno de 50%.

“A contrapartida é a garantia de emprego até o final de 2021, ficando vedadas demissões sem justa causa durante o período de vigência dos acordos coletivos”, informou o SNA.

De acordo com a senioridade e outros critérios, os tripulantes podem ser automaticamente enquadrados no programa de redução de jornada. Até setembro de 2021, 412 pilotos e 750 comissários estarão trabalhando com jornada de 50%. De outubro até dezembro de 2021, esses números irão cair para 330 pilotos e 600 comissários.

Segundo o SNA, a GOL espera chegar a dezembro de 2021 com uma capacidade operacional de 72% do que tinha antes da crise. Se o mercado não se recuperar e a projeção da companhia se confirmar, então irá resultar numa redução do quadro, inevitavelmente.

Os termos, em detalhes, estão disponíveis para consulta no Sindicato Nacional dos Aeronautas.

Fonte: Aeroin

Principais da Semana