Com redução de voos na pandemia, ANAC flexibiliza requisitos de experiência recente de pilotos

Em caráter excepcional e temporário, a decisão oferece meios alternativos para a composição de tripulações

Em razão da forte redução da quantidade de voos durante a pandemia da Covid-19 e da consequente dificuldade para a manutenção da proficiência dos pilotos conforme exigida pela regulamentação, a ANAC decidiu flexibilizar os requisitos relativos à experiência recente de pilotos de empresas certificadas para operações sob o Regulamento Brasileiro de Aviação Civil (RBAC) nº 121, desde que observadas determinadas condições e limitações. A medida segue orientações expedidas pela Organização Internacional da Aviação Civil (ICAO) e já adotadas pela autoridade de aviação europeia, a EASA.

Ao identificar as dificuldades de manutenção dos requisitos de experiência recente de pilotos durante a pandemia, a ICAO emitiu um guia com diretrizes a serem seguidas pelos países para tratar o problema causado pela redução significativa da malha aérea.

A decisão deverá facilitar o reingresso das tripulações inativas às escalas de voos das companhias aéreas, permitindo que pilotos que não cumprirem com os requisitos de experiência recente das seções 61.21, do RBAC nº 61, e 121.439, do RBAC nº 121, possam compor tripulação em voos produtivos, desde que aplicadas as condições e limitações previstas na Resolução nº 564 (clique no link para acessar). Essa isenção não vale para operações nos aeroportos Santos Dumont (RJ) e Congonhas (SP) e nem para operações com condições meteorológicas severas, visibilidade reduzida e pista contaminada, entre outros.

A flexibilização dos requisitos, adotada em caráter excepcional e temporária – somente enquanto perdurar o estado de emergência de saúde pública da pandemia da Covid-19 –, não compromete a segurança de voo. Os pilotos não recentes, ou seja, aqueles que não tenham realizado aterrissagens ou decolagens nos últimos 90 dias ou, quando em comando, aproximação por instrumentos nos últimos 180 dias, conforme o regulamento, poderão compor tripulação ao lado de pilotos completamente recentes, ou seja, aqueles que cumprem integralmente com os requisitos exigidos, ou com instrutores ou examinadores parcialmente recentes

Fonte: ANAC

Principais da Semana

‘O voo do impossível’, curta-metragem de animação da Embraer, homenageia dos 90 anos de Ozires Silva

Estreou na na sexta-feira, dia 8, o curta-metragem 'O voo do impossível', uma animação idealizada e integrada pela Embraer em comemoração ao aniversário do...

Meio ambiente: está aberta a 2ª edição do projeto Aeroportos Sustentáveis

Operadores aeroportuários podem se inscrever até 19 de fevereiro de 2021 Buscando incentivar a adoção de boas práticas de gestão ambiental nos aeroportos do Brasil,...

Aéreas brasileiras transportaram gratuitamente 4,9 mil itens para transplante em 2020

Voos operados pela Força Aérea Brasileira (FAB), companhias aéreas estrangeiras, trajetos terrestres e serviço postal transportaram 2.279 itens As companhias aéreas brasileiras transportaram gratuitamente, em...

Declaração: Novos requisitos de teste para viagens aéreas ao Canadá

As graves consequências econômicas do prolongado fechamento da fronteira já são evidentes A International Air Transport Association (IATA) expressou frustração com o novo requisito de...

Azul vai à Índia buscar dois milhões de doses da vacina contra a Covid-19

Carga com material produzido pela Astrazeneca/Oxford será trazida em parceria com o Governo Federal e tem previsão de desembarque no Rio de Janeiro no...