Iata pede reativação de voos e aeroportos na América Latina e teme prejuízos

De acordo com a Associação, o impacto da retração no setor de aviação na América Latina e no Caribe deve custar 4,1 milhões de empregos e uma perda de US$ 98 bilhões

A Associação Internacional de Transportes Aéreos (IATA) pediu aos países da América Latina para que implementem os protocolos sanitários aprovados pela Organização da Aviação Civil Internacional (Icao) e reativem o setor na região para evitar o colapso das companhias aéreas.

Peter Cerdá, vice-presidente da Iata para as Américas, afirmou em entrevista coletiva nesta quinta-feira que “o setor está pronto para ser reativado” em uma época em que começa o quarto mês da paralisação causada pela pandemia do novo coronavírus.

Cerdá admitiu que “a América Latina é, neste momento, o epicentro da pandemia”, embora tenha demonstrado confiança que, “com os protocolos da Icao, se possa voar com segurança”.

A Iata, que agrupa companhias aéreas comerciais, disse esperar que o impacto da retração do setor de aviação na América Latina e no Caribe custe a essa região 4,1 milhões de empregos e uma perda de US$ 98 bilhões.

Por exemplo, na Argentina, a Iata estima que as companhias aéreas do país perderão US$ 3,28 bilhões, reduzindo suas receitas em 2020 em 65% em relação a 2019. A paralisação no setor significará a eliminação de 19,8 mil empregos diretos.

No Brasil, a receita cairá 53%, o que significa que as companhias aéreas perderão US$ 10,21 bilhões. Além disso, 81,2 mil empregos diretos serão perdidos.

Porém, para a economia brasileira como um todo, a paralisação do setor trará um prejuízo de US$ 6,25 bilhões e a perda de 299,7 mil postos de trabalho.

“A situação é extremamente delicada na América Latina”, ressaltou Cerdá, que também pediu apoio econômico urgente para as companhias aéreas. De acordo com dados da Iata, o apoio financeiro oferecido pelos países da região às empresas é de apenas 1% do seu rendimento operacional em 2019, contra 25% na América do Norte, 15% na Europa e 10% na Ásia-Pacífico.

Fonte: UOL

Principais da Semana

Conheça Rogerio Andrade, CEO da Avantto, que viabilizou o modelo de compartilhamento de aeronaves no Brasil

A Avantto é empresa líder no segmento de compartilhamento de aeronaves executivas. Com mais de onze anos no mercado brasileiro, a companhia já se...

Flapper, principal empresa de aviação executiva do país, levanta US﹩ 2 milhões para impulsionar expansão na América Latina

O roadmap inclui o lançamento de 4 novos escritórios e o desenvolvimento de novas soluções tecnológicas para o setor de mobilidade aérea A Flapper , principal empresa...

Avião Solidário da LATAM supera 20 milhões de vacinas contra a Covid-19 transportadas gratuitamente no Brasil

Marca será obtida entre hoje (8/4) e amanhã (9/4) com os novos embarques voluntários da LATAM Cargo para 15 estados brasileiros O programa Avião Solidário, da...

Resultado dos leilões de aeroportos é “vitória da ousadia”, diz Tarcísio de Freitas

Para ministro da Infraestrutura, disputa mostrou confiança e prestígio do país com investidores Com garantia de R$ 6,1 bilhões em investimentos em 30 anos e...

Leilão de 22 aeroportos da 6ª rodada gera R$ 3,3 bilhões em contribuição inicial

Propostas vencedoras dos três blocos correspondem a um ágio médio de 3.822,61% Os 22 aeroportos leiloados pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) nesta quarta-feira...