#AirTalks com Marcelo Nunes | O executivo destacou a importância do Cluster Aeroespacial Brasileiro para o País

O coordenador do Cluster Aeroespacial Brasileiro, que é gerido pelo Parque Tecnológico São José dos Campos, Marcelo Nunes, participou desta edição do Air Talks. O executivo enfatizou a importância do Cluster para o setor e para o país e a participação no AirConnected

Paula Faria, CEO da Necta e idealizadora do AirConnected, juntamente com Ricardo Fenelon, correalizador da plataforma e sócio-fundador do Fenelon Advogados, conduzem o Air Talks, iniciativa que contempla entrevistas exclusivas com especialistas no setor de transporte aéreo, considerando o contexto do AirConnected DX 2020, evento que acontece nos dias 24 e 25 de novembro.

Nesta edição do Air Talks, os executivos entrevistaram Marcelo Nunes, coordenador do Cluster Aeroespacial Brasileiro, que é gerido pelo Parque Tecnológico São José dos Campos.

A pauta abordou os 10 anos de atuação de Nunes no Parque: na criação e coordenação atual dos Arranjos Produtivos Locais: Aeroespacial e de Defesa; além do de Tecnologia da Informação e Comunicação. Também foi tema da entrevista o papel do Cluster Aeroespacial Brasileiro para o setor de transporte aéreo, o único no país e o mais importante da América Latina, reunindo 103 empresas que atuam no setor aeroespacial e de defesa, bem como a participação do Parque no AirConnected DX 2020.

As ações  pré-evento do AirConnected são voltadas ao fomento de temas relacionados ao setor de transporte aéreo, com contribuição fundamental para a retomada do segmento no contexto da Covid-19.  O AirConnected DX 20 conta com o envolvimento dos vários atores que compõem esse ecossistema.

DESTAQUES DA ENTREVISTA

1. Marcelo Nunes enfatizou a sua trajetória no Parque Tecnológico São José dos Campos, o papel Cluster Aeroespacial Brasileiro, bem como a relação da iniciativa com o governo federal.

2. Outro ponto da entrevista  foi sobre o Ranking do jornal Financial Times, divulgado em junho na Revista fDi Intelligence, que aponta São José dos Campos como a 3ª melhor cidade do mundo para investir no setor aeroespacial. O Ranking considera o Cluster Aeroespacial Brasileiro fundamental para o posicionamento da cidade. Nunes falou sobre o que esses dados representam não apenas para a cidade, mas também para o Brasil no contexto da América Latina e mundial.

3. As perspectivas de mercado da aviação – comercial, executiva e de defesa e espaço, frente aos desafios impostos pela COVID-19 em toda a cadeia e demais movimentações do segmento também foi tema abordado durante o bate-papo. O executivo enfatizou o apoio do Parque sobre um estudo para atração de capitais estrangeiros para empresas do setor aeroespacial e das expectativas e os resultados dessa ação.

4. O coordenador do Cluster Aeroespacial Brasileiro abordou outros temas importantes e concluiu a entrevista detalhando como será a participação do Parque Tecnológico São José dos Campos nesta edição do AirConnected DX.

Principais da Semana

EXCLUSIVO! LÍDERES DE 10 EMPRESAS AÉREAS FALAM SOBRE OS DESAFIOS E O FUTURO DO SETOR

A pandemia teve um enorme impacto para o turismo no Brasil e no mundo. Mas as companhias aéreas demonstraram uma impressionante capacidade de adaptação...

Aeroporto de Congonhas aposta em tecnologia para facilitar o embarque de passageiros

A inovação foi proporcionada com instalação dos equipamentos dFlow BCBP da Digicon O Aeroporto de Congonhas é o segundo maior do Brasil em movimento de...

Aeroporto de Maceió registra mais de 90% do fluxo contabilizado em 2019

A meta da Sedetur para o aeroporto de Maceió (AL) em dezembro de 2020, era de até 80% do volume de pessoas registrado no...

Viracopos encerra 2020 com alta de passageiros pelo 8º mês seguido e projeta crescimento

A previsão é que o mês de janeiro apresente nova alta, podendo chegar próximo aos 800 mil passageiros O Aeroporto Internacional de Viracopos encerrou o ano...

Coronavírus: Reino Unido proíbe voos vindos da América do Sul e de Portugal por variante encontrada no Brasil

A nova variante encontrada no Brasil é diferente da variante inglesa e também foi encontrada na África do Sul Chegadas ao Reino Unido da América...