Minutas de edital e contrato para relicitação do Aeroporto de Natal vão à consulta pública

Estudos de viabilidade técnica também receberão contribuições por 45 dias

Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) aprovou, nesta terça-feira (9/3), as minutas do edital e do contrato de concessão para a relicitação do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante (Asga), que atende ao município de Natal, capital do Rio Grande do Norte. Os documentos jurídicos para a concessão e os Estudos de Viabilidade Técnica Econômica e Ambiental (EVTEA) serão submetidos à consulta pública por 45 dias. Será realizada também sessão de audiência pública, por videoconferência, para participação dos interessados em conhecer melhor o processo.

A adesão à relicitação, comunicada pela atual concessionária do Asga em 5 de março de 2020, é um ato voluntário e consiste na devolução amigável do ativo com a consequente realização de novo leilão e assinatura de novo contrato de concessão com o vencedor do certame. A relicitação é um mecanismo que traz segurança jurídica aos contratos e permite a continuidade da prestação dos serviços, uma vez que a concessionária deve manter a qualidade e os requisitos de segurança operacional até que a nova empresa assuma as operações do aeroporto.

Principais mudanças no edital

Além das melhorias regulatórias incluídas no modelo da 6ª rodada de concessão de aeroportos (em andamento), e já avaliadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU), a principal alteração na minuta do edital do processo de relicitação do  estão relacionadas com a mudança na forma de pagamento da contribuição inicial.

De acordo com a Lei nº 13.448/2017 e o Decreto nº 9.957/2019, a contribuição inicial deverá ser paga pelo novo contratado à concessionária anterior até o limite da indenização calculada pela ANAC. Se houver saldo remanescente, o valor deverá ser recolhido ao Fundo Nacional de Aviação Civil (FNAC). Caso a contribuição inicial seja menor que a indenização devida, a União Federal realizará o pagamento da diferença. O objetivo é reduzir o risco para os proponentes e evitar eventuais atrasos no início da transição operacional.

Contribuição inicial de 90%

Em atendimento às diretrizes definidas pela Secretaria Nacional de Aviação Civil, dAsgAsgao Ministério da Infraestrutura, definiu-se no edital do Asga, entre outros parâmetros, que a contribuição inicial corresponderá a 90% do valor presente líquido do projeto sem outorga e o valor do capital social a ser subscrito e integralizado será de aproximadamente 50% da contribuição inicial mínima.

A data da audiência pública, que deve ocorrer no formato de videoconferência em virtude das medidas sanitárias decorrentes da pandemia, será divulgada oportunamente.

Com informações da assessoria de imprensa da ANAC

Principais da Semana