87% menos chegadas de turistas em janeiro de 2021, enquanto a OMT pede maior coordenação para reativar o turismo

O impacto devastador da pandemia COVID-19 no turismo global continua em 2021, com dados mostrando uma queda de 87% no número de chegadas de turistas internacionais em janeiro em comparação com 2020


As perspectivas para o resto do ano permanecem incertas. Enquanto isso, a Organização Mundial do Turismo (OMT) mantém seu apelo a uma maior coordenação entre os países no que diz respeito a protocolos de viagens que permitam a reativação segura do turismo e evitem mais um ano de grandes perdas para o setor.

Se o final de 2020 já era difícil, o turismo global sofreu mais contratempos no início deste ano, com os países aumentando as restrições a viagens em resposta a novos surtos do vírus. De acordo com a última edição do Barômetro Mundial do Turismo da OMT, todas as regiões do mundo continuaram a experimentar quedas acentuadas no número de chegadas durante o primeiro mês do ano. Testes obrigatórios, quarentenas e, em alguns casos, o fechamento total das fronteiras têm dificultado a retomada das viagens internacionais. Além disso, a chegada das vacinas e sua administração têm sido mais lentas do que o esperado, atrasando ainda mais o reinício do turismo.

Todas as regiões do mundo foram duramente atingidas.

Ásia e Pacífico (-96%), a região que continua a ter o maior nível de restrições, viu o maior declínio nas chegadas internacionais em janeiro. A Europa e a África sofreram uma queda de 85% nas chegadas, enquanto o Oriente Médio registrou uma queda de 84%. As chegadas internacionais às Américas caíram 79% em janeiro, após resultados ligeiramente melhores no último trimestre de 2020.

O Secretário-Geral da OMC, Zurab Pololikashvili, disse: “O ano de 2020 foi o pior dos anais do turismo. A comunidade internacional deve tomar medidas fortes e urgentes para garantir um 2021 mais promissor. Existem muitos milhões de pessoas e empresas que dependem disso. Uma melhor coordenação entre os países e a harmonização dos protocolos de viagens e saúde são fatores essenciais para restaurar a confiança no turismo e permitir que as viagens internacionais sejam retomadas com segurança, de olho no verão do Hemisfério Norte, que é sua alta temporada ”.

Possibilidades de uma recuperação mais avançada em 2021

Com 32% do total de destinos mundiais completamente fechados aos turistas internacionais no início de fevereiro, a OMT espera que os primeiros meses de 2021 sejam difíceis para o turismo mundial.

Com base nas tendências atuais, a OMT prevê que as chegadas de turistas internacionais no primeiro trimestre de 2021 serão 85% menores do que no mesmo período de 2019. Isso significaria uma perda de cerca de 260 milhões de chegadas internacionais em comparação com os níveis pré-pandêmicos. De olho no futuro, a OMT traçou dois cenários para 2021, que consideram uma possível retomada das viagens internacionais no segundo semestre. Baseiam-se em vários factores, mas sobretudo no levantamento das restrições, no sucesso dos programas de vacinação e na introdução de protocolos harmonizados, como o certificado digital verde que a Comissão Europeia está a preparar.

O primeiro cenário indica uma recuperação em julho, o que levaria a um aumento de 66% nas chegadas internacionais até 2021 em comparação com as mínimas históricas de 2020. Nesse caso, as chegadas ainda estariam 55% abaixo das registradas em 2019. O segundo cenário considera uma possível recuperação em setembro, levando a um aumento de 22% no número de chegadas em relação ao ano anterior. Nesse caso, estaríamos diante de um número 67% inferior ao de 2019.

Com informações da assessoria de imprensa ALN NEWS

Principais da Semana