Demanda de carga aérea cresce 12% em abril em relação aos níveis pré-COVID

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA – International Air Transport Association) divulgou os resultados dos mercados globais de transporte aéreo de carga de abril de 2021. Segundo o relatório, a demanda de carga aérea continuou acima dos níveis pré-COVID (abril de 2019), com aumento de 12%.

Como as comparações entre os resultados mensais de 2021 e 2020 estão distorcidas devido ao impacto extraordinário da COVID-19, a não ser que especificado de outra forma, todas as comparações a seguir são relacionadas a abril de 2019, que seguiu um padrão de demanda normal.

• A demanda global, medida em toneladas de carga por quilômetro (CTKs*), subiu 12% em relação a abril de 2019 e 7,8% em relação a março de 2021. A demanda com ajuste sazonal agora está 5% acima do pico de agosto de 2018 antes da crise.

• O forte desempenho foi liderado pelas operadoras norte-americanas que contribuíram com 7,5 pontos percentuais para a taxa de crescimento de 12% em abril. As companhias aéreas de todas as outras regiões, exceto da América Latina, também colaboraram para o aumento.

• A capacidade permanece 9,7% abaixo dos níveis pré-COVID-19 (abril de 2019) devido à paralisação contínua das aeronaves de passageiros. As companhias aéreas continuam usando cargueiros dedicados para suprir a falta de capacidade no porão das aeronaves de passageiros. A capacidade internacional de cargueiros dedicados aumentou 26,2% em abril de 2021 em relação ao mesmo mês de 2019, enquanto a capacidade no porão das aeronaves caiu 38,5%.

• As condições econômicas e a dinâmica da cadeia de abastecimento continuam favoráveis ao transporte aéreo de carga:

O comércio global cresceu 4,2% em março.

o A competitividade em relação ao transporte marítimo melhorou. As taxas de carga aérea se estabilizaram desde que atingiram o pico em abril de 2020, enquanto as taxas de contêineres permaneceram comparativamente altas. Enquanto isso, os prazos mais longos de entrega dos fornecedores, à medida que a atividade econômica aumenta, fazem com que a velocidade da carga aérea seja uma vantagem, recuperando parte do tempo perdido no processo de produção.

“A carga aérea continua trazendo boas notícias para o setor de transporte aéreo. A demanda aumentou 12% em relação aos níveis anteriores à crise e os rendimentos são sólidos. Algumas regiões estão superando a tendência global, principalmente as operadoras da América do Norte, Oriente Médio e África. Porém, este forte desempenho não é universal. A recuperação das transportadoras na região da América Latina, por exemplo, está estagnada”, disse Willie Walsh, diretor geral da IATA.

As companhias aéreas da região Ásia-Pacífico relataram aumento de 9,2% na demanda de abril de 2021 em relação ao mesmo mês de 2019. Esta foi uma melhoria significativa no desempenho em comparação com o mês anterior. A capacidade internacional permaneceu restrita na região, com queda de 18,7% em relação a abril de 2019. Como também relatado em março, as companhias aéreas da região apresentaram a maior taxa de ocupação entre todas as regiões, que atingiu 77,5%.

As transportadoras da América do Norte registraram aumento de 25,6% na demanda internacional em abril de 2021 em relação a abril de 2019. Esse forte desempenho é reflexo do apetite dos consumidores americanos por produtos fabricados na Ásia. As transportadoras norte-americanas também aumentaram sua participação de mercado, principalmente nas rotas entre a América do Norte e a América do Sul, devido às grandes frotas de cargueiros disponíveis. A capacidade internacional subiu 5,5% em comparação com abril de 2019.

As transportadoras da Europa relataram aumento de 11,4% na demanda em abril de 2021 em relação ao mesmo mês de 2019. Esse resultado indica uma melhora significativa em relação ao mês anterior. As condições operacionais mais favoráveis e a recuperação dos pedidos de exportação contribuíram para o desempenho positivo. A capacidade internacional diminuiu 17,5% em abril de 2021 em relação a abril de 2019, permanecendo inalterada em relação ao mês anterior.

As transportadoras do Oriente Médio relataram aumento de 15,3% no volume de carga internacional em abril de 2021 em relação a abril de 2019. Essa foi uma melhora significativa em comparação com o mês anterior. Os volumes com ajuste sazonal continuam com tendência de alta. A capacidade internacional caiu 17,5% em abril de 2021 em relação ao mesmo mês de 2019.

As transportadoras da América Latina relataram queda de 32,7% nos volumes de carga internacional em abril em relação ao mesmo período de 2019. Este foi o pior desempenho entre todas as regiões; além disso, representou queda no desempenho em relação ao mês anterior. Os fatores que impulsionam a demanda por carga aérea na América Latina continuam relativamente menos favoráveis do que nas outras regiões, e as companhias aéreas da região perderam participação de mercado para outras transportadoras devido à reestruturação financeira. Apesar disso, os volumes em várias rotas da região (como Europa-América Central e América do Norte-América do Sul) tiveram um bom desempenho. A capacidade internacional diminuiu 52,5% em comparação com abril de 2019.

As companhias aéreas da África registraram aumento de 30,6% na demanda de abril em relação ao mesmo mês de 2019, o melhor resultado entre todas as regiões e o quarto mês consecutivo de crescimento igual ou superior a 25% em relação a 2019. A expansão robusta nas rotas comerciais da Ásia-África contribuiu para o forte crescimento. A capacidade internacional de abril aumentou 0,6% em relação a abril de 2019.

Download da análise completa dos mercados de carga aérea de abril de 2021

Principais da Semana