GRU Airport é 100% autossuficiente com o uso de água

Com projeto de água de reuso, o Aeroporto Internacional de São Paulo gera uma economia hídrica de 52 milhões de litros em suas operações

Pensando em uma operação sustentável, o Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, administrado pela GRU Airport, se destaca pelo uso racional da água, com 100% de autossuficiência na captação e administração de seu uso.

A implantação do projeto de água de reuso foi uma das maneiras encontradas pela GRU Airport para trazer sustentabilidade para o aeroporto.

“Nós pensamos muito em como fazer para tornar o uso das águas cada vez mais sustentável e já sabemos que esse nosso sistema contribui para a manutenção do lençol freático na região”, afirma Admilson Reis da Silva, Diretor de Operações da GRU Airport.

Nos últimos dois anos, foram mais de 100 milhões de litros economizados graças à implantação deste projeto no aeroporto. Essa quantidade de água equivale à consumida por uma cidade de 5 mil habitantes no período de seis meses.

Do total utilizado, cerca de 52 milhões de litros anuais (6% do total) são de água de reuso, servindo principalmente os sanitários (49%), refrigeração de equipamentos (44%) e limpeza de pátios, pistas e outras instalações (7%).

Esse número tende a aumentar nos próximos anos, com as melhorias que vêm sendo implementadas na captação de purgas do sistema de refrigeração e com a construção da estação de tratamento de água de reuso próxima à ETE (Estação de Tratamento de Esgoto).

Captação

Todo abastecimento é feito por meio de poços artesianos existentes no complexo aeroportuário ou por água de reuso, que tem sua reposição pelas chuvas e são captadas e armazenadas em modernos centros, que também fazem o tratamento do insumo usado em muitas áreas do aeroporto.

Além da economia, esse sistema de captação, que está presente desde 2014 com a inauguração do Terminal 3, contribui para a preservação do meio ambiente, já que não depende de recursos dos mananciais que atendem a região metropolitana de São Paulo.

Trabalho com a natureza

Para chegar a esse resultado expressivo, a GRU Airport precisou estudar a melhor utilização e racionalização de todo sistema de captação e distribuição da água por todo o complexo. A climatização, por exemplo, é feita com um sistema de circulação que passa por todos os terminais, fazendo a água rodar em um sistema fechado.

O resultado foi a potencialização do uso da água com a consequente redução de desperdício, tornando o Aeroporto de Guarulhos mais um agente na preservação do meio ambiente.

Com informações da Assessoria de Imprensa Danthi

Principais da Semana