Boeing e Alder Fuels firmam parceria para ampliar produção de combustível de aviação sustentável em todo o mundo

A conversão de resíduos florestais e agrícolas sustentáveis pode substituir o combustível de aviação comum em até 75% nos EUA. A Boeing promoverá testes e qualificação do SAF da Alder Fuels em seus aviões

A Boeing e a Alder Fuels anunciaram uma nova parceria para expandir a produção de combustível de aviação sustentável (SAF, na sigla em inglês) em todo o mundo. Usando aeronaves da Boeing, as empresas testarão e qualificarão SAF derivado da Alder, promoverão políticas para acelerar a transição para energia renovável na aviação e aumentarão a quantidade de biocombustível para o mercado aeroespacial global.

A tecnologia proprietária da Alder Fuels permite a conversão eficiente de resíduos florestais abundantes e sustentáveis e biomassa regenerativa em um “greencrude” (petróleo verde) de baixo carbono negativo para conversão de combustível de aviação. O produto da Alder é adequado para conversão em SAF drop-in, o que significa que ele pode ser produzido pelas refinarias existentes, utilizando seus equipamentos e infraestrutura atuais. A expectativa é que a primeira fábrica da Alder seja concluída em 2024.

“À medida que trabalhamos para alcançar a meta da indústria de aviação civil de zerar as emissões líquidas de carbono até 2050, sabemos que é necessário aumentar a quantidade de SAF em 700 a 1.000 vezes para que isso seja possível”, disse Sheila Remes, vice-presidente de sustentabilidade ambiental da Boeing. “Além disso, de acordo com o Departamento de Energia dos EUA, os resíduos florestais e agrícolas apenas dos EUA já seriam capazes de fornecer energia de biomassa suficiente para gerar uma quantidade de SAF que poderia suprir 75% do consumo de combustível de aviação do país. São parcerias como esta que nos permitem continuar defendendo e ampliando o fornecimento de SAF.”

A Boeing apoiará os testes e a qualificação do SAF derivado da Alder, incluindo demonstrações de voo para garantir a disponibilidade. De acordo com o Air Transport Action Group, coalizão da indústria focada em sustentabilidade, a expansão rápida e em escala global do combustível de aviação sustentável e novas fontes de energia é a principal oportunidade para atender e ir além da meta de zero emissão carbono líquido até 2050 da indústria.

Em janeiro de 2021, a Boeing se comprometeu a entregar aviões com capacidade 100% SAF até 2030 e também está usando a alternativa em suas próprias operações, enquanto trabalha em todo o mundo para aumentar o seu fornecimento.

“A tecnologia da Alder oferece um futuro de captação de energia para alimentar aeronaves, ao invés perfuração, convertendo biomassa sustentável amplamente disponível em um produto sustentável para refino em SAF”, disse Bryan Sherbacow, CEO da Alder Fuels. “Agora, podemos aumentar o fornecimento para atender à demanda da indústria de aviação. Essa parceria com a Boeing agilizará a disponibilidade do SAF em todo o mundo e promoverá políticas que garantam a sustentabilidade, além de defender a justiça ambiental e desenvolvam as economias locais”.

Antes de fundar a Alder Fuels, Sherbacow desenvolveu e comandou a primeira refinaria SAF do mundo em Paramount, na Califórnia. A Equipe Alder está na vanguarda do desenvolvimento de novos métodos para produzir SAF, comercializando seu uso, desenvolvendo políticas públicas para o setor e liderando esforços para ampla adoção da indústria.

A Boeing foi pioneira em colocar o SAF em prática. A empresa trabalhou com companhias aéreas, fabricantes de motores e outros líderes do setor para qualificar e conduzir voos de teste de biocombustível em 2008 e obter aprovação para uso comercial em 2011. Em 2018, o programa de voos teste Boeing ecoDemonstrator, em colaboração com a FedEx Express, realizou o primeiro voo comercial do mundo usando combustíveis sustentáveis com um 777 Freighter, Além disso, a companhia estabeleceu parceria com clientes do governo dos EUA em iniciativas de SAF que incluem voos teste pela Marinha dos EUA em um F/A-18 Super Hornet e um estudo aprofundado de combustível com a Força Aérea como parte de suas ações para certificar o C-17 Globemaster para usar SAF.

Com informações da Assessoria de Imprensa

Principais da Semana